Logo

A Serra toda cabe numa azeitoneira

“Um projecto que junta artesãos e designers faz por recuperar o artesanato da serra e do barrocal algarvios. Chama-se TASA e quer mostrar que os saberes e os ofícios de antigamente podem ser renovados sem esquecer o território e, sobretudo, as pessoas”.

“A nossa memória de pessoas e lugares está muitas vezes ligada a objectos e a cheiros, a sabores e a sensações. No Natal tudo isso vem ao de cima com maior clareza. O bolo que a mãe aprendeu a fazer com a avó e que a torna presente, mesmo quando ela já não está à mesa, o casaco de lã que a tia fez para a sobrinha e que hoje usa a neta, a boneca que se recebeu do pai ao nascer que agora se oferece à filha.

Alguns desses objectos são artesanais, vêm de casas antigas ou resultaram de férias de Verão passadas na praia ou na serra. Na casa de Cremilde Lourenço, uma artesã de 74 anos que ainda vive no monte onde nasceu, essas memórias passarão também por uma arte antiga que ela só aprendeu quando tinha 45 anos, depois de muito bordar e costurar — a da empreita, um entrançado feito a partir de folhas de palmeira em forma de leque. No quintal cheira a alecrim e a sua sala de trabalho tem a porta aberta, com o sol sobre a máquina de costura e o banco onde se senta muitas vezes a trabalhar”.

Revista 2, Público

Texto: Lucinda Canelas, Fotografia: Guilherme Marques

Ler mais +

Projeto TASA – Técnicas Ancestrais Soluções Atuais
  • PROMOTOR:
    CCDR
  • GESTÃO DO PROJETO:
    ProActive Tur
  • APOIOS:
    Algarve 21